312. Tron - O Legado

segunda-feira, 2 de maio de 2011
Postado por Selton Dutra Zen

(Bom)


Não gostei de "Tron - Uma Odisséia Eletrônica" e por isto não me interessei muito por esta sequência. Não fui vê-la no cinema, e agora em home-video, sem esperar nada a assisti e me surpreendi!

Neste filme, o visual está infinitamente melhor. Certo que em 1982, ano de lançamento de seu antecessor, a tecnologia disponível na época não permitia a criação de cenários e efeitos tão grandiosos como, 28 anos depois, "Tron - O Legado" nos apresenta, mas o cenário tecnológico da ficção da década de 80 é de uma preguiça mental tremenda!

Neste filme, os efeitos especiais são magníficos, a fotografia que acrescenta agilidade a trama, sem precisar optar pelo uso exagerado de handycam (nada contra a técnica, mas contra os fotógrafos que a empregam de forma errônea) também acerta ao empregar um tom azulado que perdura durante todas as cenas que se passam dentro do video game, aumentando a sensação de tecnologia e holografia, típicas de um jogo virtual. A direção de arte é extremamente criativa, intercalando entre pedras escuras (rústico) com o requinte e a luxúria dos ambientes internos.

Dando mais emoção as cenas de batalha, a trilha sonora de Daft Punk consegue contagiar e transportar o próprio espectador para dentro do jogo (no sentido conotativo da palavra, obviamente).

Todavia, "Tron - O Legado" peca por possuir uma atuação muito abaixo da média de um ator excelente, ganhador do Oscar por "Coração Valente", Jeff Bridges, que aqui não possui presença de cena nenhuma! E erra também por ser um filme frio, que em muitos momentos não transmite emoção alguma, somente nos deixa encantado com seu visual!

Aliás, um ponto positivo muito forte do filme de 1982 é ser um filme nostálgico para muitos (não me incluo neste grupo). Já esta sequência de 2010 provavelmente vai ser esquecido daqui a alguns meses, se já não foi!

A história basicamente se repete, com algumas pequenas mudanças: Desta vez o filho do criador do jogo acaba acidentalmente entrando no mesmo, a procura de seu pai. A seguir, as situações simplesmente repetem as de seu antecessor.

Filme esquecível, mas que consegue divertir e cativar o público, mesmo que somente por algumas horas!

Gênero: Ficção Científica
Duração: 126 min.
Ano: 2010

1 comentários:

Kahlil Affonso disse...

Gostei do filme, mas não como obra cinematográfica. O filme serve como diversão passageira. O que é uma pena, já que o mundo de Tron possibilitaria um roteiro muito mais rico!

http://filme-do-dia.blogspot.com/