293. Skyline - A Invasão

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011
Postado por Selton Dutra Zen 1 comentários

Responsáveis por "Alien Vs. Predador 2" (seu primeiro longa), os irmãos Strause novamente apostam no tema alienígena para seu segundo e mais novo longa, "Skyline - A Invasão", que acaba se igualando ao fracasso do primeiro. Se em "Alien Vs. Predador 2" havia alguma dúvida, agora está mais que comprovado que a dupla de irmãos possuem uma incompetência absurda na direção. Eles não são capazes de inovar em nenhum aspecto e nem (pasmem!) de estabelecer pelo menos um plano sequência que preste! Dos poucos planos-sequência do filme, porque para os irmãos Strause é muito mais cômodo empregar cortes na cena, que usar um recurso um pouco mais elaborado, eles ainda os conseguem estragar. E no ambiente em que o filme se passa, quase todo dentro de um prédio de luxo, poderiam ser criadas cenas incríveis, embora simples, como uma câmera acompanhando os personagens por entre os corredores do prédio, para brincar um pouco de Kubrick em "O Iluminado", mas isso não acontece. E, pensando bem, foi até melhor, porque soaria pejorativo para os fãs de Kubrick (como eu), ver o maior diretor da história do cinema ser homenageado num filme tão ruim! "Skyline - A Invasão" conta ainda com um roteiro horrível e mal elaborado. Basta notar que, como acontece em vários filmes de Hollywood, uma cena de ação é antecipada e colocada como a primeira cena do filme, servindo como um teaser para o que irá se seguir. "Skyline - A Invasão" possui este recurso, mas o mesmo é aplicado de forma absurdamente incompetente e errônea, pois somos apresentados à cena inicial, onde um dos personagens é abduzido, para, logo depois, o filme voltar 15 horas no tempo, e depois de menos de 15 minutos, voltar a cena inicial. Este recurso somente funciona se o intervalo do teaser inicial para a cena completa for de no mínimo 30 minutos. Esta produção realiza esta técnica em menos da metade deste tempo. Além disso, o roteiro possui diálogos ridículos, que, somados a um elenco onde todos os atores e atrizes são pavorosos, criam cenas tão ruins que chegam a nos manifestar um sentimento de vergonha alheia! Mas "Skyline - A Invasão" possui um ponto positivo: os feitos especiais. Estes são tão bons que realmente é difícil de acreditar que esta é uma produção de baixo orçamento. Vemos naves, alienígenas, aviões e helicópteros extremamente bem detalhados e realistas. Mas este é o único atrativo. O filme não possui mais nada de bom. Absolutamente nada! E, como se não bastasse, "Skyline - A Invasão" ainda plagia filmes como "Guerra dos Mundos", "Independence Day" e "Cloverfield - Monstro", além claro, do filme "Battle Los Angeles", do qual os irmãos Strause roubaram a ideia, e desviaram dinheiro para fazer esse mais novo fracasso. Desta vez, um grupo de amigos precisa lutar para sobreviver a um ataque alienígena, de abdução em massa.





(Muito ruim)

Gênero: Ação/Ficção
Duração: 92 min.
Ano: 2010

Cinefilia 09: Oscar 2011: Os Indicados!

terça-feira, 25 de janeiro de 2011
Postado por Selton Dutra Zen 2 comentários


Agora a pouco foi divulgada a lista dos indicados ao Oscar 2011! Alguns dos filmes indicados já assisti e até fiz críticas para o C de Cinema, mas ainda restam muitos filmes para ver antes da cerimonia. Não venho aqui dar minhas apostas, pois o farei em uma outra coluna, mas venho comentar os indicados.

Sem muitas surpresas, confesso que não me senti tão frustrado pelas injustiças que ano, após ano, são cometidas pelo Oscar. Apenas me decepcionei que Christopher Nolan não concorreu na categoria melhor diretor, por "A Origem", e me surpreendi (surpresa boa) que "O Mágico",uma animação francesa, concorre a melhor animação, e que "Lixo Extraordinário", documentário brasileiro, concorre a melhor documentário.

Sem mais delongas, a lista completa segue abaixo. Resta a vocês julgarem e analisarem, opinando nos comentários (se possível) o que acharam da lista:

MELHOR FILME:

"Cisne Negro"
"O Vencedor"
"A Origem"
"Minhas Mães e Meu Pai"
"O Discurso do Rei"
"127 Horas"
"A Rede Social"
"Toy Story 3"
"Bravura Indômita"
"Inverno da Alma"

MELHOR DIRETOR:

Darren Aronofsky ("Cisne Negro")
David Fincher ("A Rede Social")
Tom Hooper ("O Discurso do Rei")
Irmãos Coen ("Bravura Indômita")
David O'Russell ("O Vencedor")

MELHOR ATOR:

Javier Bardem ("Biutiful")
Jeff Bridges ("Bravura Indômita")
Jesse Eisenberg ("A Rede Social")
Colin Firth ("O Discurso do Rei")
James Franco ("127 Horas")

MELHOR ATRIZ:

Nicole Kidman ("Reencontrando a Felicidade")
Natalie Portman ("Cisne Negro")
Jennifer Lawrence ("Inverno da Alma")
Annete Bennig ("Minhas Mães e Meu Pai")
Michelle Williams ("Blue Valentine")

MELHOR ATOR COADJUVANTE:

Christian Bale ("O Vencedor")

Geoffrey Rush ("O Discurso do Rei")
Mark Ruffalo ("Minhas Mães e Meu Pai")
Jeremy Renner ("Atração Perigosa")
John Hawkes ("Inverno da Alma")

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE:

Melissa Leo ("O Vencedor")
Helena Boham Carter ("O Discurso do Rei")
Hailee Steinfeld ("Bravura Indômita")
Amy Adams ("O Vencedor")
Jacki Waver ("Reino Animal")

MELHOR ROTEIRO ORIGINAL:

"A Origem"
"Minhas Mães e Meu Pai"
"O Discurso do Rei"
"Another Year"
"O Vencedor"

MELHOR ROTEIRO ADAPTADO:

"127 Horas"
"Toy Story 3"
'Bravura Indômita"
"Inverno da Alma"
"A Rede Social"

MELHOR ANIMAÇÃO:

"Toy Story 3"
"Como Treinar Seu Dragão"
"O Mágico"

MELHOR DIREÇÃO DE ARTE:

"Alice no País das Maravilhas"
"Harry Potter e as Relíquias da Morte Parte 1"
"A Origem"
"O Discurso do Rei"
"Bravura Indômita"

MELHOR FOTOGRAFIA:

"Cisne Negro"
"A Origem"
"O Discurso do rei"
"A Rede Social"
"Bravura Indômita"

MELHOR DOCUMENTÁRIO:

"Exit Throght the Gift Shop"
"Gasland"
"Trabalho Interno"
"Restrepo"
"Lixo Extraordinário"

MELHOR FILME ESTRANGEIRO:

"Biutiul" (México)
"Dogtooth" (Grécia)
"Em um Mundo Melhor" (Dinamarca)
"Incendies" (Canadá)
"Outside the Law (Hors-la-loi)" (Argélia)

MELHOR TRILHA SONORA:

"Como Treinar seu Dragão" - John Powell
"A Origem" - Hans Zimmer
"O Discurso do Rei" - Alexandre Desplat
"127 Horas" - A.R. Rahman
"A Rede Social" - Trent Reznor e Atticus Ross

MELHOR MAQUIAGEM:

"Minha Versão do Amor"
"The Way Black"
"O Lobisomem"

MELHOR MONTAGEM:

"127 Horas"
"Cisne Negro"
"O Vencedor"
"O Discurso do Rei"
"A Rede Social"

MELHOR FIGURINO:

"Alice no País das Maravilhas"
"Io Sono L'amore"
"O Discurso do Rei"
"The Tempest"
"Bravura Indômita"

MELHOR CANÇÃO ORIGINAL:

Coming Home ("Country Song")
I See the Light ("Enrolados")
If I Rise ("127 Horas")
We Belong Together ("Toy Story 3")

MELHORES EFEITOS VISUAIS:

"Alice no País das Maravilhas"
"Harry Potter e as Relíquias da Morte Parte 1"
"Além da Vida"
"A Origem"
"Homem de Ferro 2"

MELHOR EDIÇÃO DE SOM:

"A Origem"
"Toy Story 3"
"Tron - O Legado"
"Bravura Indômita"
"Incontrolável"

MELHOR MIXAGEM DE SOM:

'A Origem"
"O Discurso do Rei"
"Salt"
"A Rede Social"
"Bravura Indômita"

MELHOR CURTA-METRAGEM DE DOCUMENTÁRIO:

"Killing in The Name"
"Poster Girl"
"Strangers no More"
"Sun Come Up"
"The Warriors of Qiugang"

MELHOR CURTA-METRAGEM DE ANIMAÇÃO:

"Day & Night"
"The Gruffalo"
"Let's Pollute"
"The Lost Thing"
"Madagascar Carnet the Voyage"

MELHOR CURTA-METRAGEM:

"The Confession"
"The Crush"
"God of Love"
"Na Wewe"
"Wish 143"

292. Resident Evil 4: Recomeço

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011
Postado por Selton Dutra Zen 2 comentários

"Resident Evil 4: Recomeço" possui uma sequência inicial (que abriga os créditos iniciais) fantástica! Nela, acompanhamos o ataque de uma zumbi a um cidadão chinês. Nesta cena, o uso do slow motion é empregado no timing perfeito, resultando numa maravilhosa demonstração da tecnologia. Mas infelizmente isto dura pouco. Na primeira aparição de Milla Jovovich, e, consequentemente, na primeira sequência de ação do filme (aos 8 minutos de projeção), "Resident Evil 4: Recomeço" começa a decair de nível numa velocidade lastimável. Se na sequência inicial o slow motion favorecia o filme, pois era aplicado de forma acertada, aos 8 minutos, essa tecnologia deixa de ser bela, para se tornar extremamente cansativa e enjoativa, uma vez que o diretor ultrapassa o limite, e insere uma quantidade exagerada de slow motions, que perduram até o final da projeção, em todas as cenas de ação, deixando-as sem ritmo algum. E, como se não bastasse, as sequências de ação acabam, logo de início, plagiando explicitamente a trilogia "Matrix" (seja pelos giros no ar, pela caminhada nas paredes - verticalmente -, ou até pelos desvios de balas). Milla Jovovich é a única atriz do elenco que possui uma interpretação razoável (prefiro muito mais ela em "Contatos de 4º Grau"), porque o resto do elenco, os atores coadjuvantes, são muito ruins, criando assim, uma dessincronia pavorosa. "Resident Evil 4: Recomeço" acaba se tornando o pior filme da série, iniciada em "Resident Evil: O Hospede Maldito", seguido por "Resident Evil 2: Apocalipse", e com seu terceiro exemplar : "Resident Evil 3: Extinção". Neste quarto filme, a luta contra a corporação Umbrella continua, mas desta vez, a personagem de Jovovich possui a ajuda de mais algumas pessoas que, como ela, querem apenas sobreviver ao T-vírus, e consequentemente, aos zumbis.





(Ruim)

Gênero: Ação
Duração: 97 min.
Ano: 2010

291. Os Mercenários

Postado por Selton Dutra Zen 0 comentários

Como o próprio título original já diz, "The Expendables" (Os Descartáveis) personifica no grupo de mercenários (liderado por Stallone) uma das coisas mais descartáveis da ética e da moral humana: assassinar por dinheiro. Mas se até então achávamos que os mercenários eram os fora-da-lei, isso se inverte ao sermos apresentados à máfia que domina uma cidade do México, situação que transforma os anti-éticos/morais mercenários em heróis... ou melhor, anti-heróis. O novo filme estrelado, escrito e dirigido por Silvester Stallone, um dos maiores astros de ação do cinema mundial, denominado "Os Mercenários" reúne uma quantidade rara de atores de ação famosos, alguns veteranos, outros nem tanto. Além de Stallone, vemos Jason Stathan, Jet Li, Mickey Rourke, Bruce Willis e até uma participação especial de Arnold Schwarzenegger, que rende uma boa piada, proferida por Willis, quando diz: "Ele quer ser presidente dos E.U.A!". De fato, todo o elenco está maravilhosamente bem integrado, resultando em cenas muito divertidas. A ação do filme é bem coreografada e possui um ritmo contagiante. Mas em detrimento a estes pontos positivos, "Os Mercenários" erra por tornar a violência muito apelativa e, outro grande erro, ter efeitos especiais muito fracos, revelando constantemente a computadorização do sangue e das explosões do filme. Não somente os efeitos são fracos, mas também o roteiro, escrito a duas mãos, uma delas Stallone, deixa muito a desejar, por possuir inúmeros clichês e uma história sem criatividade alguma, que serve somente de desculpa para a reunião de alguns dos astros de ação mais famosos da atualidade. "Os Mercenários" com certeza possuia capacidade de ser um grande filme, mas isto infelizmente não aconteceu. Stallone interpreta o líder de um grupo de mercenários que é contratado para matar o chefe de uma máfia que governa, de forma tirana, uma cidade no México. Filme onde as atuações do elenco são ruins, mas o carisma e o espírito de camaradagem de todos impressiona e até cativa o público, pena que isso não seja suficiente para salvar o filme!





(Ruim)

Gênero: Ação
Duração: 104 min.
Ano: 2010

290. Cisne Negro

quinta-feira, 13 de janeiro de 2011
Postado por Selton Dutra Zen 0 comentários

2011 mal começou, mas já posso afirmar com certeza que "Cisne Negro" é um dos melhores filmes lançados comercialmente este ano, aqui no Brasil, uma vez que esta produção já havia sido lançada no final de 2010, nos E.U.A. "Cisne Negro" possui o perfeito equilíbrio entre realidade, e fantasia macabra, algo já foi realizado por Darren Aronofsky (o diretor), no excelente "Fonte da Vida", mas que alcança, praticamente, a perfeição neste seu mais novo longa, que por sua vez, é o melhor filme do diretor, que possui em sua filmografia filmes muito bons, como "O Lutador" e o já referido acima, "Fonte da Vida". Aronofsky, como de costume, desempenha uma direção magistral, basta notar o absoluto controle do mesmo sobre o filme. Além de ser um dos melhores filmes deste ano, é o melhor filme de Natalie Portman (conseguindo superar até a obra-prima "Closer - Perto Demais"), que está numa de suas melhores interpretações, como Nina, uma bailarina que se vê ameaçada por Lily, outra bailarina que também disputa o papel principal na peça O Lago dos Cisnes. Aos poucos a trama deixa de ser um simples drama, para se tornar um thriller psicológico, abordando cobiça e obsessão, gerada pela busca da perfeição. Interpretando o diretor da peça, vemos Vicent Cassel, que para mim, é um dos atores mais ecléticos da atualidade. Já trabalhou em filmes franceses (sua nacionalidade), inclusive com o diretor Gaspar Noé, em filmes brasileiros, com Heitor Dhalia, em animações, emprestando sua voz ao Sr. Hood, em "Shrek", passando pelas mãos de Steven Soderbergh, em "Doze Homens e Outro Segredo" e "Treze Homens e um Novo Segredo", até cair nas mãos de Aronofsky, neste longa. Como em "Irreversível", sua interpretação é estupenda. Além disso, "Cisne Negro" ainda conta com uma edição soberba e uma fotografia magnífica, que em alguns momentos possui um tom de filme independente, o que aumenta ainda mais a aproximação do público para com o filme. No final das contas, "Cisne Negro" se revela ser melhor que "A Rede Social"(que é um filme muito, muito bom!)!


(Obra-prima)

Gênero: Drama
Duração: 107 min.
Ano: 2010